Pesquisar este blog

terça-feira, 14 de maio de 2019

Sintrajus-SP filia-se à Fenajud para garantir direitos e fortalecer categoria

Uma Federação só se faz forte quando sua base também é sólida. Para dar mais sustentação as nossas lutas, o Sintrajus (Sindicato dos Trabalhadores e Servidores Públicos do Judiciário Estadual na Baixada Santista, Litoral e Vale do Ribeira do Estado de São Paulo) formalizou sua filiação à Fenajud (Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário nos Estados) na última sexta-feira (10). Com esse reforço, a Federação passa a contar com 25 entidades filiadas.


Para a Fenajud, a decisão do sindicato demonstra força, amplia as possibilidades de conquistas e de novos direitos. Em tempos de crise, ter uma Federação combativa e atuante evita as investidas perversas e oportunistas dos patrões. Todo trabalhador consciente sabe que os governos não dão nada de graça, tudo é resultado de muitas lutas árduas nos locais de trabalho e do movimento social na rua. Ao contrário, sempre tentam reduzir direitos e benefícios. A entidade acredita que o Sintrajus ficará mais representativo, podendo dialogar com mais energia e enfrentar os debates com mais força em favor da categoria no estado de São Paulo.

O coordenador-geral do Sintrajus, Michel Gonçalves, disse ao Portal de Notícias da Fenajud que “O sindicato se filiou à Fenajud por conta da defesa de pautas gerais, da unidade com outros estados, da democratização, de melhores condições de trabalho e salariais aos trabalhadores do judiciário. É hora de unificarmos nossas lutas. Precisamos dialogar com a base e saber o que se passa nos outros estados, assim podemos fortalecer na região nossas lutas”.

Como se filiar

Para se filiar à Fenajud é simples. Primeiro, o sindicato do judiciário deve atuar na esfera estadual. Com isso, deve realizar uma assembleia com a categoria e constar em ata a aprovação pela categoria. Com a devida comprovação, os documentos devem ser enviados à coordenação para aprovação. O pedido é encaminhado para fenajud@fenajud.org.br pela entidade interessada.
TEXTO: FENAJUD

quarta-feira, 8 de maio de 2019

AQUECIMENTO À ASSEMBLEIA ESTADUAL - GUARUJÁ

A Assojubs e o Sintrajus estiveram nesta terça-feira, 7 de maio, nas comarcas de Guarujá e Bertioga no intuito de informar sobre a mudança na data da Assembleia Estadual da categoria, o plano de saúde que o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) quer impor aos funcionários e a importância da permanência no Iamspe (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual). A Assojubs foi representada por Sidnei Dalla Marta Fernandes e Adelson Pereira Gaspar, tesoureiro e 1º tesoureiro, e o Sintrajus por Michel Iorio Gonçalves, coordenador geral do sindicato e conselheiro fiscal da associação.
Foi explicado aos servidores que como o Tribunal agendou para 16 de maio uma reunião da Comissão de Orçamento, discussão que apresentará respostas à pauta de reivindicações, o conjunto das entidades deliberou por remarcar a Assembleia Estadual da categoria para 17 de maio, às 13 horas, na Praça João Mendes, na Capital.
A respeito do plano de saúde a ser implementado pelo Tribunal, na reunião de 2 de maio, na Capital, entre os representantes da categoria e o Tribunal, foi apresentado que o intuito do TJ é contratar um serviço no qual o teto por titular, cada servidor, alcance R$ 500,00, e, para contemplar a demanda em todo Estado, o atendimento será dividido em quatro regiões, com operadoras específicas para cada uma dessas regiões.
O plano de saúde não será opcional para o servidor em atividade, que deixará de receber o auxílio saúde, atualmente no valor de R$ 336,00. E o que será custeado pelo Tribunal é a opção enfermaria. Caso haja interesse do servidor em migrar para uma categoria melhor, deverá arcar com a diferença. Os agregados e dependentes não serão custeados pelo TJ, o servidor terá que pagar caso queira incluí-los, mediante valores de acordo com a faixa etária. Aos aposentados será opcional, continuar a receber o auxílio saúde ou o plano de saúde. Não haverá carência, mas, sim, um limite de uso em consultas. E quando ultrapassada essa cota, acarretará em cobranças, o que hoje já existe em planos particulares, os chamados de co-participação. As internações e pronto atendimento ficarão liberadas.
Não saia do Iamspe!Apesar da pretensão do TJ em implementar o plano de saúde, é importante a permanência no Iamspe, visando garantir uma alternativa para o atendimento de saúde.
Mesmo com as deficiências no atendimento prestado pelo Instituto, principalmente no Litoral e Interior, a luta por melhorias é constante e o Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE) é referência quando se trata de operações e serviço de oncologia.
E é  válido lembrar que o Iamspe é do servidor, pois ele o mantém por meio de uma contribuição mensal compulsória.
Reforma da PrevidênciaTambém foi informado que é preciso dizer não à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 06/2019, que modifica o sistema de previdência social, dificulta o acesso à aposentadoria, aumenta o tempo de contribuição e de trabalho, diminui o valor dos benefícios e ameaça a existência da seguridade social (aposentadoria, benefícios da assistência social como o BPC e as políticas de saúde).
TEXTO: CAMILA MARQUES/ASSOJUBS



AQUECIMENTO PARA ASSEMBLEIA ESTADUAL - CUBATÃO

Na manhã desta segunda-feira, 6 de maio, a Assojubs e o Sintrajus estiveram reunidos com os servidores da Comarca de Cubatão no intuito de informar sobre a mudança na data da Assembleia Estadual da categoria, o plano de saúde que o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) quer impor aos funcionários e a importância da permanência no Iamspe (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual). Inicialmente, Regina Helena Assis, presidente da Assojubs, explicou aos servidores como foi a reunião ocorrida em 2 de maio, na Capital, entre os representantes e o Tribunal, que tratou acerca do plano de saúde a ser implementado pelo Órgão. O intuito do TJ é  contratar um serviço no qual o teto por titular, cada servidor, alcance R$ 500,00, e, para contemplar a demanda em todo Estado, o atendimento será dividido em quatro regiões, com operadoras específicas para cada uma dessas regiões. 


 Ocaso queira incluí-los, mediante valores de acordo com a faixa etária. Aos aposentados será opcional, continuar a receber o auxílio saúde ou o plano de saúde. Não haverá carência, mas, sim, um limite de uso em consultas. E quando ultrapassada essa cota, acarretará em cobranças, o que hoje já existe em planos particulares, os chamados de co-participação. As internações e pronto atendimento ficarão liberadas. Mesmo com a pretensa implementação do plano de saúde, a importante a permanência no Iamspe, visando garantir uma alternativa para o atendimento de saúde. Foi isso que ressaltou Rosângela dos Santos, presidente da Comissão Consultiva Mista (CCM) do Iamspe na Baixada Santista e Litoral Sul, lembrando que o Instituto é do servidor, pois ele o mantém por meio de uma contribuição mensal compulsória. 


plano de saúde não será opcional para o servidor em atividade, que deixará de receber o auxílio saúde, atualmente no valor de R$ 336,00. E o que será custeado pelo Tribunal é a opção enfermaria. Caso haja interesse do servidor em migrar para uma categoria melhor, deverá arcar com a diferença.

Os agregados e dependentes não serão custeados pelo TJ, o servidor terá que pagar
Apesar das deficiências no atendimento prestado pelo Instituto, principalmente no Litoral e Interior, a luta por melhorias é constante e o Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE) é referência quando se trata de operações e serviço de oncologia. Diante disso, foi feito um chamado para que todos participem da Audiência Pública em Defesa do Iamspe na Câmara de Cubatão, na Praça dos Emancipadores, s/n, às 18h30 do dia 8 de maio, quarta-feira. Assembleia Estadual
Como o Tribunal agendou para 16 de maio uma reunião da Comissão de Orçamento, discussão que apresentará respostas à pauta de reivindicações, o conjunto das entidades deliberou por remarcar a Assembleia Estadual da categoria para 17 de maio, às 13 horas, na Praça João Mendes, na Capital.
Reforma da PrevidênciaPor fim, Michel Iorio Gonçalves ressaltou que é preciso dizer não à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 06/2019, que modifica o sistema de previdência social, dificulta o acesso à aposentadoria, aumenta o tempo de contribuição e de trabalho, diminui o valor dos benefícios e ameaça a existência da seguridade social (aposentadoria, benefícios da assistência social como o BPC e as políticas de saúde).
TEXTO: CAMILA MARQUES/ASSOJUBS

quarta-feira, 1 de maio de 2019

AULA PÚBLICA IAMSPE PARA OS SERVIDORES DO JUDICIÁRIO

Nesta quinta-feira, 2 de maio, às 14h30, na Praça João Mendes, na Capital, uma aula pública com os membros da Comissão Consultiva Mista (CCM) sobre a importância do Iamspe para o servidor do Judiciário. Participe!

CONVOCAÇÃO PARA ASSEMBLEIA UBATUBA, CARAGUATATUBA, ILHA BELA E SÃO SEBASTIÃO





Seguindo com o cronograma de visitas às comarcas, a Assojubs e o Sintrajus estiveram nesta quinta e sexta-feira, dias 25 e 26 de abril, em Caraguatatuba, Ubatuba, Ilhabela e São Sebastião visando promover a conscientização da categoria para a importância da participação na próxima Assembleia Estadual, que acontecerá em 10 de maio, na Praça João Mendes, Capital, e passar os informes sobre a Campanha Salarial 2019.A Assojubs foi representada por Sidnei Dalla Marta Fernandes e Adelson Pereira Gaspar, tesoureiro e 1º tesoureiro, e o Sintrajus por Michel Iorio Gonçalves, coordenador geral do sindicato e conselheiro fiscal da associação. Também presentes dirigentes da Assojuris.Durante o debate com os servidores, foi esclarecido que a categoria está em Estado de Greve, uma deliberação da última Assembleia, realizada em 22 de março. Essa decisão, que deixa em alerta os servidores para uma eventual paralisação, foi motivada pela ausência de negociação por parte do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP), pois a Presidência não recebeu neste ano as entidades para uma discussão efetiva acerca dos pleitos, referendados na pauta de reivindicações aprovada.
O atual momento é de impasse, o diálogo é escasso e a categoria quer um judiciário igualitário. E o local para definir os próximos passos da Campanha Salarial deste ano é a Assembleia Estadual, por isso a participação expressiva dos judiciários é fundamental.Além da convocação para a Assembleia, os dirigentes falaram sobre a Reforma da Previdência, questões jurídicas e o atendimento prestado pelo Iamspe (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual), entre outras dúvidas dos servidores.
Abaixo-assinado contra a PEC 06/2019Os representantes disponibilizaram aos servidores o abaixo-assinado contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 06/2019, que modifica o sistema de previdência social, dificulta o acesso à aposentadoria, aumenta o tempo de contribuição e de trabalho, diminui o valor dos benefícios e ameaça a existência da seguridade social (aposentadoria, benefícios da assistência social como o BPC e as políticas de saúde).Assembleia Estadual: Todos a São Paulo!
A Assembleia Estadual será no dia 10 de maio, às 13 horas, na Praça João Mendes. Os servidores da Baixada Santista interessados em participar podem fazer a inscrição para o ônibus nas sedes da Assojubs, em Santos e São Vicente, ou com os diretores regionais nas comarcas.

CONVOCAÇÃO PARA ASSEMBLEIA MIRACATU E JUQUIÁ

Nesta terça-feira, 23 de abril, a Assojubs e o Sintrajus estiveram nas comarcas de Miracatu e Juquiá seguindo com o cronograma de visitas no intuito de promover a conscientização da categoria para a importância da participação massiva na próxima Assembleia Estadual, que acontecerá em 10 de maio, e passar os informes sobre a Campanha Salarial 2019. A Assojubs foi representada por Sidnei Dalla Marta Fernandes e Adelson Pereira Gaspar, tesoureiro e 1º tesoureiro, e o Sintrajus por Michel Iorio Gonçalves, coordenador geral. Também presentes dirigentes da Assojuris.
Os representantes esclareceram aos servidores que a categoria está em Estado de Greve, ou seja, estão preparados para uma eventual paralisação. Esta foi uma decisão da última Assembleia, realizada em 22 de março, motivada pela falta de tratativas com o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo em relação à categoria, cuja Presidência não recebeu neste ano as entidades para uma negociação efetiva. O momento é de impasse. O diálogo é escasso e a categoria quer um judiciário igualitário. Por isso a participação na próxima Assembleia Estadual, na Praça João Mendes, na Capital, dia 10 de maio, é fundamental para definir os próximos passos da Campanha Salarial deste ano.
Os dirigentes também explicaram sobre a Reforma da Previdência, questões jurídicas e o atendimento prestado pelo Iamspe (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual), entre outras dúvidas dos servidores.
Abaixo-assinado contra a PEC 06/2019
E foi disponibilizado o abaixo-assinado contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 06/2019, que modifica o sistema de previdência social, dificulta o acesso à aposentadoria, aumenta o tempo de contribuição e de trabalho, diminui o valor dos benefícios e ameaça a existência da seguridade social (aposentadoria, benefícios da assistência social como o BPC e as políticas de saúde). 



Assembleia Estadual: Todos a São Paulo!
A Assembleia Estadual será no dia 10 de maio, às 13 horas, na Praça João Mendes. Os servidores da Baixada Santista interessados em participar podem fazer a inscrição para o ônibus nas sedes da Assojubs, em Santos e São Vicente, ou com os diretores regionais nas comarcas.
TEXTO: CAMILA MARQUES

terça-feira, 23 de abril de 2019

TODOS À PRAÇA JOÃO MENDES - DIA 10.05 ASSEMBLEIA ESTADUAL


Assojubs e Sintrajus reunidos com juiz diretor do Fórum de Santos

Em 17 de abril, a Assojubs e o Sintrajus, representados por Regina Helena Assis, presidente da associação, e Michel Iorio Gonçalves, coordenador geral do sindicato, estiveram reunidos com Valdir Ricardo Lima Pompeo Marinho, juiz diretor do Fórum de Santos, para tratar de algumas demandas pertinentes à Comarca.Um dos assuntos abordados foi sobre o poço do elevador do prédio da Rua Martim Afonso (abriga o Deecrim e a SADM), que exala um odor ruim. Como é um imóvel alugado, Marinho informou que não é possível efetuar uma obra para conter o cheiro, mas já fez o contato com o locador sobre a situação.
Também foi falado acerca das catracas instaladas no Fórum Cível, motivo de reclamação dos servidores por registrar filas durante a entrada e saída do local. O juiz diretor do Fórum de Santos explicou que tal projeto é de origem da Presidência do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) e que está acompanhando o caso. Ressaltou, inclusive, que já praticou uma pequena mudança na disposição das catracas.
Ele explicou que, de acordo com as normativas da atual administração do Tribunal, as diretorias não possuem personalidade para firmar contratos, apenas fiscalizar, portanto toda parte de gestão contratual é comandada pela Presidência.
Por fim, a Assojubs e o Sintrajus apresentaram a proposta de retomar a ideia do debate em relação ao adoecimento dos funcionários do judiciário e a prevenção ao suicídio. A ideia seria promover uma palestra em setembro com psicólogas. Marinho se mostrou favorável e solicitou que as entidades elaborem um projeto e encaminhem a ele para que possa solicitar ao TJ por meio da Escola Judicial dos Servidores (EJUS) e Escola Paulista da Magistratura (EPM), que dão o aval para a realização de eventos.
TEXTO E FOTO: CAMILA MARQUES/ASSOJUBS

Comarcas de Peruíbe, Itariri e São Vicente - Aquecimento para Assembleia Estadual

Nesta terça e quarta-feira, dias 16 e 17 de abril, a Assojubs e o Sintrajus estiveram reunidos com os servidores das comarcas de Peruíbe, Itariri e São Vicente. O objetivo das visitas foi o de promover a conscientização da categoria para a importância da participação massiva na próxima Assembleia Estadual, que acontecerá em 10 de maio, e passar os informes sobre a Campanha Salarial 2019.As mobilizações nas comarcas visam fortalecer a Campanha Salarial e mostrar à categoria que cada vez que o Tribunal de Justiça concede apenas o índice da inflação do período, os servidores perdem, pois seguem com o passivo acumulado e nada é feito para minimizar esse percentual, que totaliza 16,83% desde 2002, como explicou Cláudia Damião, vice-presidente da Assojubs.Foi esclarecido aos servidores que a categoria está em Estado de Greve, ou seja, estão preparados para uma eventual paralisação. Esta foi uma decisão da última Assembleia, realizada em 22 de março, motivada pela falta de tratativas com o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo em relação à categoria, cuja Presidência não recebeu neste ano as entidades para uma negociação efetiva.
“Estamos no limite com essa administração. Em dezembro afirmou que não tinha verba para recompor nossas perdas salariais, em janeiro pagou aos magistrados 16,38% e em fevereiro voltou a dizer que falta dotação orçamentária para os funcionários. E os dados demonstram que há, sim, dinheiro em caixa”, frisou Michel Iorio Gonçalves, coordenador geral do Sintrajus e presidente do Conselho Fiscal da Assojubs. Regina Helena Assis, presidente da Assojubs, afirmou aos presentes que a participação da categoria é fundamental para avançar na luta: “Nenhuma entidade sem os trabalhadores vai para frente. E tudo que conseguimos de melhorias foi conquistado, nada foi nos dado sem batalha”.
O momento é de impasse. O diálogo é escasso e a categoria quer um judiciário igualitário. Por isso a participação na próxima Assembleia Estadual, na Praça João Mendes, na Capital, dia 10 de maio, é fundamental para definir os próximos passos da Campanha Salarial deste ano.
Em Peruíbe e Itariri, além de Michel Iorio, esteve Adelson Pereira Gaspar, 1º tesoureiro da Assojubs. Em São Vicente, presentes Sidnei Dalla Marta Fernandes e Eduardo Requejo, tesoureiro e diretor regional da associação na Comarca, respectivamente. Os representantes da Assojuris também participaram do trabalho conjunto de conscientização da categoria. Assembleia Estadual: Todos a São Paulo!
A Assembleia Estadual será no dia 10 de maio, às 13 horas, na Praça João Mendes. Os servidores da Baixada Santista interessados em participar podem fazer a inscrição para o ônibus nas sedes da Assojubs, em Santos e São Vicente, ou com os diretores regionais nas comarcas.








Condições de trabalho no Fórum de Cubatão

Na manhã desta segunda-feira, 15 de abril, a Assojubs e o Sintrajus estiveram reunidos com Paulo de Toledo Ribeiro, vice-presidente da Ordem dos Advogados (OAB) da Subseção de Cubatão, no intuito de discutir sobre a falta de condições de trabalho no Fórum da Comarca.Como já é de conhecimento público, o prédio do Fórum possui rachaduras por todos os lados e cai água dentro dos cartórios quando chove, além da reforma do piso do Salão do Júri, cuja obra está suspensa desde 2017 e a empresa responsável declinou do serviço por causa da solicitação de uma alteração no layout do local. Atualmente, o Salão do Júri está desativado, sem realização de audiências, e o local está sendo usado como depósito de processos e a sala abaixo já sofre com o sobrepeso.
No começo de abril, os servidores estiveram mobilizados no intuito de chamar a atenção para um cenário que se arrasta há anos, pois um ato semelhante já ocorreu em 2014 pelos mesmos problemas, que perduram até hoje.
Para o vice-presidente da OAB Cubatão, é inaceitável ver que os outros fóruns da Baixada Santista receberam novas instalações ou foram ampliados e o de Cubatão segue sem mudanças desde sua inauguração. “Não estamos contentes com a situação atual estrutural, queremos uma solução”.
Odair de Paula Conceição, diretor jurídico da Assojubs, e Michel Iorio Gonçalves, coordenador geral do Sintrajus, informaram que já foi feito um pedido jurídico para que haja a interdição do local de trabalho. Se há risco, não é possível esperar o lugar desmoronar para agir.
O objetivo da reunião foi propor ações para desenvolver um trabalho conjunto entre a Assojubs, Sintrajus e OAB e promover um movimento que dê resultados e garanta a segurança dos funcionários e população que por ali passa todos os dias.
Engenheiros civis do Tribunal de Justiça já estiveram em Cubatão vistoriando o prédio e a Defesa Civil também já foi solicitada para apurar as condições do imóvel, mas um parecer ainda não foi emitido.
TEXTO E FOTO: CAMILA MARQUES/ASSOJUBS

sexta-feira, 5 de abril de 2019

Esclarecimentos à população.

Na Coluna do Leitor de A Tribuna desta terça-feira, 2 de abril, Assojubs e Sintrajus falam sobre direitos e salário dos servidores do Judiciário

terça-feira, 2 de abril de 2019

CUBATÃO PEDE SOCORRO!!!


Os servidores da Comarca de Cubatão pedem socorro e querem segurança para desempenhar seus ofícios diariamente. E diante da demora por parte do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) em resolver os problemas da falta de condições de trabalho no Fórum, nesta terça-feira, 2 de abril, a Assojubs e o Sintrajus estiveram com os funcionários em um protesto à entrada do prédio. Rachaduras por todos os lados e água dentro dos cartórios quando chove. Para demonstrar a indignação pela falta de condições de trabalho e expor à população as mazelas que enfrentam durante a prestação de serviço, os servidores estiveram mobilizados no intuito de chamar a atenção para um cenário que se arrasta há anos. Vale lembrar quer um ato semelhante já ocorreu em 2014 pelos mesmos problemas, que perduram até hoje.Além das rachaduras, foi verificado durante o protesto que falta água nos bebedouros e banheiros. E ainda há a reforma do piso do Salão do Júri, cuja obra está suspensa desde 2017, pois a empresa responsável declinou do serviço por causa da solicitação de uma alteração no layout do local.
Com receio da situação, que apresenta risco não somente para os funcionários, mas para os que por ali passam todo dia (população, advogados), os servidores decidiram que é a hora de dar um basta e denunciaram o que vem ocorrendo no Fórum de Cubatão. Um caso semelhante acontece no Fórum de Santo Amaro, na Capital, que possui inúmeras rachaduras, visíveis até na fachada do prédio. E assim como feito pelos servidores de são Paulo, que relataram para a rádio CBN, aqui na Baixada a mídia também soube do descaso que o TJ trata seus funcionários, pois teve cobertura da imprensa a mobilização. Engenheiros civis do Tribunal de Justiça já estiveram em Cubatão vistoriando o prédio, mas um parecer ainda não foi emitido. Regina Helena Assis, presidente da Assojubs, repassou aos servidores as informações obtidas junto ao Departamento Jurídico da associação: “Deverá ser aberto um procedimento para averiguação da denúncia e o Fórum deverá ser notificado sobre o assunto. A Defesa Civil vai apurar as condições do imóvel e nesta quarta, dia 3 de março, está prevista uma reunião sobre o tema”. Ao final do ato os funcionários ficaram posicionados à entrada do Fórum de mãos dadas e segurando uma faixa com os dizeres “Cubatão pede socorro” e clamando por segurança.
Presentes ao protesto também Claudia Damião e Sidnei Dalla Marta, vice-presidente e tesoureiro da Assojubs, e Michel Iorio Gonçalves, coordenador geral do Sintrajus.








FOTOS E TEXTO: CAMILA MARQUES/ASSOJUBS

REUNIÃO COM A DARAJ

Na tarde de 21 de março, a Assojubs e o Sintrajus, representados respectivamente por Regina Helena Assis e Michel Iorio Gonçalves, estiveram reunidos com Joel Birello Mandelli, juiz diretor da 7ª Região Administrativa Judiciária (RAJ), que abrange as comarcas da Baixada Santista, Litoral Sul e Vale do Ribeira, para tratar das demandas regionais. Cubatão
A respeito da reforma do Fórum de Cubatão, foi explicado que a obra está suspensa. Tal situação se deu por causa de uma solicitação de alteração do layout, cuja verba não constava no contrato entre o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) e a empresa que estava fazendo o serviço no prédio.
A alteração foi solicitada, mas a empresa não quis fazer o trabalho. Foi orçado um projeto com outra firma e já encaminhado ao TJ, mas o Órgão entende que quem deve dar continuidade ao projeto e finalizar a reforma é a primeira contratada. Com esse impasse, o processo está para ser encerrado.
Acerca das rachaduras, um laudo estrutural foi emitido há dois anos e identificadas as fendas, mas sem risco para os trabalhadores. Visando garantir a segurança dos funcionários, uma nova vistoria é necessária, pois essas mesmas fissuras ficaram maiores e outras surgiram, o que assusta os servidores. O diretor da RAJ informou, na ocasião, que o Tribunal estava sem um profissional para analisar o local.
A Assojubs e o Sintrajus solicitaram urgência na solução da questão e na tarde desta segunda-feira, 26 de março, Elisabete Aparecida da Silva, coordenadora da 7ª RAJ, disse que estava agendada a visita de uma equipe de engenheiros civis ao Fórum de Cubatão.Iguape
Em Iguape, a situação é crítica, pois quando as entidades estiveram na Comarca no ano passado, observaram que chove dentro dos prédios a ponto de serem colocados baldes para conter a água. Mandelli ressaltou que telhas voaram devido ao temporal e por isso a infiltração, mas uma obra já foi realizada, a escada do edifício foi refeita e implementada a acessibilidade.
Há também o problema da carga elétrica que não suporta a instalação de aparelhos condicionadores de ar. “É complicado quando o prédio não é do TJ para resolver alguns casos”, disse Mandelli. E reforçou que uma reunião entre o dono do imóvel, a Prefeitura e o diretor do Fórum já foi providenciada no intuito de novas melhorias.
CananeiaEm Cananeia, o espaço físico é extremamente reduzido, com pilhas de processos espalhadas pelos cartórios. Já houve tentativas de locação de outros imóveis na Comarca, mas sem sucesso, havendo disponibilidade apenas em Ilha Comprida.
Praia GrandeAlguns servidores reclamaram para a Assojubs e o Sintrajus da falta de água no Fórum de Praia Grande. Com a queda de raios na Baixada Santista, as bombas de águas foram queimadas e o para-raio também.
Elisabete Aparecida da Silva ressaltou que as bombas eram novas, haviam sido trocadas recentemente e estavam na garantia, mas a cobertura não abrange danos causados pela natureza. Ela explicou que no mesmo dia foi providenciado um caminhão para o reabastecimento de água.
TEXTO E FOTO: CAMILA MARQUES/ASSOJUBS

ASSEMBLEIA ESTADUAL





Reunidos em Assembleia Estadual na tarde de sexta-feira,  22 de março, na Praça João Mendes, região central de São Paulo, os servidores do Judiciário aprovaram a pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2019.Duas sugestões de pautas foram apresentadas: a de um documento enxuto, com apenas 10 itens, e o texto contendo as reivindicações prioritárias, com questões financeiras, e os pontos que falam de direitos, relacionando os demais pleitos. Os presentes à Praça João Mendes deliberaram pela pauta completa. Em sua fala, Michel Iorio Gonçalves, coordenador geral do Sintrajus, reforçou que o momento é decisivo: “Ou aceitamos os 3,94% [Índice de reposição salarial divulgado pelo Tribunal de Justiça] ou vamos atrás dos 16,83% [perdas acumuladas desde 2002], o nível universitário para os escreventes e a transformação dos agentes em escreventes. É a hora de valorizar os servidores! “.
Regina Helena Assis, presidente da Assojubs, questionou os presentes: “Todo mundo está satisfeito?”. E lembrou que todas as conquistas que a categoria obteve foram, sim,  através de muita batalha, nada veio por gentileza do Tribunal de Justiça. E é o momento de sair dos cartórios e engrossar a luta.Além da pauta, ficou aprovado que as entidades representativas irão fazer assembleias regionais com as suas bases para esclarecer os itens reivindicados e que permanecerão em estado de greve até o dia 10 de maio, data da próxima assembleia na Praça.Comarcas presentes
Estiveram presentes servidores das Comarcas de Santos, São Vicente, Praia Grande, Peruíbe, Itanhaém, Cubatão, Guarujá, Marília, Sorocaba, São José do Rio Preto, Caraguatatuba, Guarulhos, São José dos Campos, Mirandópolis, Dracena, Adamantina, Andradina, Panorama, Sumaré, Piracicaba, Nova Odessa, Americana, Assis, Palmital, Cerqueira César, Candido Mota, Ourinhos, Pereira Barreto, Taboão da Serra, Pacaembú, Cravinhos, Ribeirão Preto, Itapeti, São Simão, Sertãozinho, Ituverava, Itapetininga, prédios do Fórum João Mendes, Barra Funda, Execução Fiscal, Glória, Hely Lopes Meireles, Pinheiros, Vila Prudente, Jabaquara,
Sto Amaro, Itaquera, Tatuapé, Brás, Nossa Senhora do Ó, Lapa, Brigadeiro, Palácio e Conselheiro Furtado.

terça-feira, 12 de março de 2019

Tribunal atende pedido de SINTRAJUS/ASSOJUBS e cancela atrasos de servidores da Baixada por causa da enchente

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) respondeu, por e-mail, ao ofício encaminhado pela Assojubs e Sintrajus e acatou a solicitação das entidades, cancelando, então, os atrasos dos servidores da Baixada Santista do dia 4 de fevereiro por causa da enchente ocorrida na região.
O despacho da assessoria da Presidência diz o seguinte: “Considerando os transtornos causados pela enchente na Baixada Santista, AUTORIZO o cancelamento dos atrasos registrados pelos servidores lotados em Santos, Cubatão e demais comarcas atingidas, conforme análise do gestor, ficando indeferidos os pedidos de relevação ou compensação futura de ausências registradas, mantendo-se o registro da falta”.
TEXTO: Camila Marques/ASSOJUBS

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

ELEIÇÕES CCMIAMSPE

Foi realizada na manhã do dia 21.02 a eleição da CCMIAMSPE. GESTÃO 2019/2012:
Presidente: Guilherme Nascimento (Capesp)
1ª vice-presidente: Idenilde de Almeida Conceição (Apeoesp)
2ª vice-presidente: Regina Aparecida Bueno (Sindsaúde)
Coordenadores Capital: Ana Cristina Manente (AFIAMSPE) e José Luiz Moreno Prado Leite (APEOESP)
Suplente: Geraldo Danzi Salvia Filho (Amiamspe)
Coordenadores: Grande São Paulo: Sylvio Micelli (Aecoesp) e Rosalina Chinone (Udemo)
Suplente: Abigail Toniol de Oliveira (Apeoesp)
Coordenadores Interior: Luiz “Danone” da Silva Filho (Sifuspesp) e Milton Carretero (Apeoesp)
Suplente: Marlene Aparecida Octaviano Camilo (Apeoesp)
Coordenadores Litoral: Michel Iorio (Sintrajus) e Claudio Massakazu Yamawaki (CPP) 
Suplente: Rosângela dos Santos (Sintrajus)

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

CNJ suspende contrato do TJ-SP com a Microsoft para fornecimento de tecnologia





CNJ suspende contrato do TJ-SP com a Microsoft para fornecimento de tecnologia

ENCONTRO DO JUDICIÁRIO 2019 - DRACENA

Durante todo o sábado, 16 de fevereiro, servidores das diversas comarcas da Baixada Santista, Capital, Grande São Paulo e Interior, além das entidades representativas, como a Assojubs e o Sintrajus, estiveram reunidos em Dracena para o Encontro Estadual dos Judiciários de São Paulo. A abertura do evento se deu com as explanações iniciais dos dirigentes, em que foi ressaltado a importância do Encontro para o fortalecimento da unidade na luta. “Tudo que temos foi conquistado com muita esforço, nada foi dado de bandeja. Por isso reforço que o trabalho tem que ter continuidade!”, frisou Regina Helena Assis, presidente da Assojubs e secretaria geral do Sintrajus, deixando claro aos presentes que a categoria não deve esmorecer, apesar das dificuldades encontradas.
“Temos que planejar e organizar nossos passos daqui por diante. Somente com pressão conseguimos alcançar nossos objetivos, pois para os magistrados surge sempre dinheiro, mas, para nós, servidores, sobram as migalhas”, lembrou Michel Iorio Gonçalves, coordenador geral do Sintrajus. Na sequência, veio a discussão da pauta de reivindicações. Com duas propostas: 1) a de um documento enxuto e 2) a de elencar dois documentos, um contendo os itens prioritários (econômico e de direitos específicos) e o outro com todos os pontos de reivindicações.
Após as defesas dos pontos de vista, os participantes do Encontro aprovaram o encaminhamento da segunda proposta, com pauta prioritária econômica e de direitos específico e a pauta completa, com todas as reivindicações. Diante disso, foi lido cada item e deliberado pela plenária. Na parte da tarde, foi a vez da palestra de Márcio Pessatti, historiador e ex-superintendente regional do Ministério do Trabalho e Emprego no Paraná, que fez uma análise da conjuntura política no país após as mudanças já empregadas pelo atual governo, de Jair Bolsonaro (PSL), as ameaças à retirada de direitos em reformas apresentadas (como a da Previdência) e alguns retrocessos como a exclusão do Ministério do Trabalho e a transferência da a demarcação de terras indígenas e quilombolas, que foi competência da Funai (Fundação Nacional do Índio) e do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) por três décadas, para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, ligado ao agronegócio, que visa apenas o lucro.
“O atual Governo está fazendo um realinhamento do Estado Brasileiro, mas não como se encantou a maioria da população. Bolsonaro se apresenta como reflexo de que a saída é individual e não coletiva, pelo debate, votação”, resumiu Pissoti. Bandeiras de lutas e calendário:
1) Contra a Reforma da Previdência e ataque aos direitos dos trabalhadores.
2) Revogação da Reforma Trabalhista e seu aprofundamento, contra a terceirização e flexibilização do trabalho;
3) Extinção do Projeto de Lei 116/2017 no senado – Fim da Estabilidade – que propõem regras para a demissão de servidor público estável por insuficiência de desempenho;
4) Contra a PEC 300, proposta que prevê jornada diária de até 10 horas e consolida prevalência do negociado sobre o legislado;
5)  A luta em defesa do Iamspe;
6) Contra o Assédio Moral e por uma política de combate ao assédio moral por parte do TJ-SP;
7) Contra a Resolução 219/16 do CNJ, que dispõe sobre a distribuição de servidores, de cargos em comissão e de funções de confiança nos órgãos do Poder Judiciário de primeiro e segundo graus e dá outras providências;
8) Em defesa da carreira típica de Estado para escreventes e oficiais de justiça;
9) Promover à aproximação com a população das demandas dos judiciários no sentido da melhora nos serviços públicos;
10) Pela Democratização dos Tribunais – Eleição direta para presidentes;
11) Contra a extinção dos cargos nos Tribunais como do oficial de justiça e escrivão;
12) Campanha de Valorização do Servidor- Interna do judiciário com fins de conscientizar os próprios servidores acerca da importância do seu trabalho para a sociedade, da união da categoria e da luta pelos direitos trabalhistas. Motes da Campanha:
1) Pelos 16,55% de perdas salariais.
2) NU para os Escreventes Já!
3) O Iamspe é Nosso!
Calendário de lutas – primeiro período:
1) Dia 20/02 – quarta-feira – 10 horas – Assembleia Nacional dos Trabalhadores Contra a Reforma da Previdência – Local Principal Pça. da Sé/ SP.
2) Dia 27/02 – Manifestação em Brasília contra a suspensão da liminar concedida pelo STF na ADI 2238/2000 – O pedido foi feito pelos estados de GO, AL, CE, MS, MG, RJ, RS, PA e PR, por enquanto, para possibilitar a redução nos salários e do horário dos servidores.
3) Dia 08/03 – Manifestação em Comemoração ao dia Internacional da Mulher – Atos Regionais.
4) Dia 22/03 – Assembleia Estadual dos Judiciários de São Paulo – às 13 horas na Pça. João Mendes.